Moda

Valentino Alta Costura 2020

23 jul 2020 • por Nina Kauffmann • 0 Comentários

Para apresentar a coleção de alta-costura da Valentino, Pierpaolo Piccioli escolheu Roma, sua terra natal e, mais precisamente, um estúdio de gravação gigante nos lendários estúdios de cinema Cinecittà, para capturar melhor a grandeza e o volume desta coleção.

A apresentação, intitulada “Of Grace and Light, Pierpaolo Piccioli In Dialogue With Nick Knight”, foi uma projeção digital ao vivo em um ambiente minimalista para uma série de roupas sublimes, todas capturadas com habilidade pelo fotógrafo inglês.

Antes da transmissão da apresentação, a câmera levou o espectador entre os muitos edifícios construídos nos 40.000 metros quadrados de Cinecittà, pontilhados com cabeças gigantes de imperadores romanos, templos emergindo do chão, águias imponentes e falsas palácios antigos.

Pouco antes do início do show, umtravelling passou pela famosa porta da frente do estúdio, convocando os fantasmas dos grandes diretores que trabalharam lá – Fellini, Rossellini, Visconti, Leone, Coppola e Scorsese. Poderíamos até reconhecer elementos decorativos de Casanova, de Fellini, ou cenários da série de televisão Roma.

Finalmente, uma modelo apareceu como se estivesse flutuando pelo ambiente, balançando para frente e para trás em um trapézio, no estúdio de gravação que servia de pano de fundo.

Knight e Piccioli anunciaram o evento duas semanas atrás, através de um vídeo de apenas um minuto exibido durante o horário de Valentino na temporada digital da Semana da Alta-Costura de Paris, com imagens de enormes fragmentos de tecido ondulando com ventos leves. 

Como no teaser do evento, vestidos de extrema fluidez nas modelos, nesta coleção outono-inverno 2020/21 que prevê “a alta-costura como um convite para sonhar com os olhos abertos”, de acordo com o comunicado da Valentino.

“Ao longo da história, momentos de crise sempre ofereceram uma oportunidade de colocar os valores humanos de volta ao centro. O humanismo é a semente do renascimento. Estamos passando por um desses momentos. Para nós, a moda é uma uma atividade profundamente humana que consiste em dar forma à matéria pelas mãos, moldar criações que o corpo habita e anima”, explicou a marca.

Nick Knight decidiu projetar imagens de formações rochosas ou de pétalas em vestidos longos e crinolinas gigantes – se inspirando em uma técnica já experimentada com sucesso em um projeto conjunto com John Galliano e Maison Margiela na Serpentine Gallery, em Londres.

Durante a apresentação, em alguns momentos, as roupas pareciam se transformar em flores enormes, e em outros em estalactites de gelo. O espaço bruto do estúdio de gravação número 5 – talvez o favorito de Fellini? – estava repleto de vestidos de cinco metros de comprimento, pairando no ar.

Modelos balançavam para frente e para trás na imensa escuridão, capturadas por holofotes precisos, enquanto seda,  mousseline e tule enchiam o espaço, banhados pela luz carmesim de holofotes colocados com precisão.

Esta não é a primeira vez que Valentino coloca suas modelos em trapézios na Cidade Eterna – a marca já havia feito isso anteriormente, durante uma festa de despedida de Valentino Garavani, em frente ao Coliseu, dez anos atrás.

Assim como todas as grandes grifes europeias, Valentino se limitou a uma apresentação online neste verão, devido à pandemia. Este evento em Roma é o penúltimo digital de uma grande marca de moda este mês. O último foi o de Christian Dior na Puglia, Itália, na quarta-feira à noite.

Em relação à trilha sonora, as percussões japonesas se misturavam com sinos e operetas, enquanto modelos negras balançavam vestidos brancos monumentais, batas de seda plissadas ou enormes nuvens de tule, vestidos de festa com ombros inchados, braços cobertos por luvas de prata, vestidos impressionantes que pareciam flutuar.

A modelo romana Mariacarla Boscono apareceu pouco antes de uma composição de moda absolutamente fabulosa – uma roupa toda em penas de marabu, que evocava uma ave do paraíso.

“Non vogliamo essere subito gia cosi senza sogni” era o slogan da apresentação, uma frase do poeta e cineasta Pierpaolo Pasolini que significa “não queremos ficar subitamente sem sonhos”.

No final, todas as quinze modelos posaram na frente do que parecia uma natureza morta gigante, e então Pierpaolo Piccioli se curvou aos aplausos da pequena plateia, composta por amigos, familiares e funcionários da Valentino.

“Quero expressar minha profunda gratidão à graça e à luz dos seres humanos que trabalharam tanto nessa coleção. Se eu tiver que pensar em um futuro, na oportunidade que temos de construir algo novo, só espero que seja feito pelas mãos, corações e paixão daqueles humanos que agora posso chamar de meu povo”, disse o costureiro nascido em Roma.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post