Novidades

Alunos de Mestrado do IFM abrem a temporada de Moda em Paris

02 mar 2021 • por Nina Kauffmann • 0 Comentários

Semana da Moda de Paris nunca foi fácil para jovens esperançosos, embora tenha havido uma grande mudança na segunda-feira (1), quando os alunos de mestrado do Institut Français de la Mode (IFM) abriram a temporada.

Mesmo levando em consideração o fato de que esta é uma temporada esmagadoramente digital, isso representa um mar de mudanças em Paris, onde a cena sempre foi dominada por marcas de luxo gigantes ou independentes de vanguarda. Por outro lado, os desfiles em Londres de estudantes da Central Saint Martins ou de talentos recém-saídos da faculdade e ligados ao projeto Fashion geralmente recebem intervalos de tempo importantes no calendário.


 
Conceder aos alunos de mestrado do IFM a hora de abertura do programa oficial da Fédération de la Haute Couture et de la Mode (FHCM),foi um grande sinal da ambição do instituto de transformar o IFM em uma das cinco principais faculdades internacionais de moda.

O instituto de ensino superior privado é único internacionalmente na medida em que oferece três áreas de estudo diferenciadas, incluindo moda criativa; artesanato ou savoir faire; e gestão de luxo.



O vídeo dos estudantes, divulgado na tarde de segunda-feira (1) às 5h30 CET, veio de uma turma que aceita 70 alunos por ano, sendo 20% da França e o restante de todo o mundo. A julgar pelo vídeo de 10 minutos, o IFM começou bem, com vários graduados esbanjando talento.
 
Destaque para James Giltner, do Colorado, cujo conceito era uma loja de departamentos Printemps de vida curta, inaugurada há quase quatro décadas em Denver.

“Não funcionou, fechou e se transformou num centro médico. Por isso imaginei subir escadas rolantes nesse espaço chique para dar sangue, para além das lembranças de toda esta grande moda de vanguarda de Paris dos anos 80”, explicou Giltner, em uma apresentação privada feita por uma dúzia de estudantes antes da exibição. O resultado: uma série de excelentes criações de malha fantasmagóricas; tecidas em torno de cabos elétricos para criar looks de deusa intergalática.

Enquanto Johanna Imbach, da França, optou por uma abordagem mais científica, ainda usando o tricô. Combinando algodão clássico e fios de lã com alta tecnologia para desenvolver criações brilhantemente esculpidas. Vestidos e macacões com memória, que se moldaram em ideias da realeza renascentista de alta tecnologia, todos adequados para astros do rock.

Ou Mudassir Mohammed, cuja família veio de Hyderabad, que fundiu as memórias do fim do colonialismo na Índia em vários looks incríveis – de túnicas azuis xadrez Madras de duas camadas a super renovações de casacos masculinos tradicionais.

Os graduados no mestrado do IFM também mostraram muito entusiasmo nos acessórios. Como Agathe Pornin, uma francesa que idealizou uma série de escarpins, botas e saltos altos – todos embrulhados em couro ou até mesmo jeans, de modo que pareciam quase cultivados organicamente. Ou Luca Tessarin, um italiano aproveitou o confinamento passado na Lombardia rural para desenvolver bolsas de couro maleáveis, ecoando ideias de design do estúdio do arquiteto Gio Ponti.

Todos os acessórios desenvolvidos dentro do ateliê do IFM, que usa maquinários de última geração para treinar os alunos – até impressoras 3D. Este último processo foi empregado em uma grande coleção de sapatos de Xavier Chane Li Sek, que criou uma série de botas elásticas elegantes com solas de pneu de minitrator – imitando cogumelos de sua juventude no Sudeste Asiático. 
 
Os alunos do mestrado foram os primeiros graduados do recém-criado campus do IFM, um grande edifício verde localizado ao longo do Sena, ao lado da Gare de Austerlitz no 13º arrondissement de Paris. IFM é um amálgama de uma escola de negócios da moda criada por Pierre Bergé em 1986, e a École de la Chambre Syndicale de la Couture Parisienne (ECSCP), sem dúvida a instituição de ensino líder mundial em Modelagem. O IFM foi aberto em uma estrutura verde espalhada pelas margens do Sena, frequentemente referida como Les Docks, e conta agora com quase 800 estudantes.
 
Depois de uma reforma de 20 milhões de euros pelo proprietário do edifício, a Caisse des Dépôts et Consignations, e um investimento de 10 milhões de euros de grandes marcas parisienses – como Chanel, Christian Dior, Hermès e Yves Saint Laurent – a instituição de ensino parece pronta para competir com as faculdades de moda mais procuradas do mundo: FIT em Nova York, CSM em Londres, a Academy em Antuérpia, La Cambre em Bruxelas e Marangoni em Milão.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post