Moda, Novidades

O Pay up – o que é esse movimento que tem abalado o mundo da moda nessa quarentena

01 set 2020 • por Paula Bedran • 0 Comentários

Durante esses últimos meses, muitas máscaras caíram pelo mundo. Tanto de políticos, como amigos como as marcas que seguimos, compramos e gostamos. O PayUp é um movimento que tem ajudado a pontuar quem foram ( e estão sendo) os vilões nessa grande jornada das marcas de fast fashion e seus contratos cancelados com as fábricas na Ásia. O #payup (hashtag, movimento e abaixo-assinado) começou nos EUA, através da Remake ou World, uma comunidade de mulheres que luta a favor da ética na moda através de workshops, painéis de debate pelo mundo e um selo de aprovação de qualidade. O movimento começou, pois com o inicio da pandemia e um declínio significativo das vendas, grandes marcas de fast fashion como H&M, Zara, as marcas de Kendall e Kylie Jenner, C&A, Forever21 Urban Outfitters, Primark, Levi’s, Grupo Gap, Grupo Tommy Hilfiger, entre outras (a lista completa está no Instagram da @remakeourworld) deixaram de pagar seus fornecedores, por pedidos que já haviam sido produzidos e os deixaram sem receber da noite para o dia. Ao todo, são mais de 40 bilhões de euros (mais de 240 bilhões de reais), e só a Primark deve mais de 250 milhões de euros para as fábricas. São, ao todo, mais de 4 milhões de trabalhadores que estão sem receber, alguns que ganham menos de 1 dólar por dia, e sustentam famílias inteiras com esse salário. Muitas dessas são empresas que continuam faturando bilhões, mesmo durante a pandemia, como é o caso da Primark, que registrou uma receita de quase 9 bilhões de euros no final de 2019, e continuam pagando dividendos aos acionistas, como é o caso da TJ MAxx, loja de departamento Norte-Americana que pagou 480 milhões de dólares em dividendos. O link para assinar a petição está na Biografia do Instagram da @remakeourworld.

Paula Bedran

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post