Moda, Novidades

Max Mara Outono Inverno 2021

02 mar 2021 • por Nina Kauffmann • 0 Comentários

A marca italiana Max Mara comemorou na quinta-feira (25) seu 70º aniversário com energia e vitalidade, com um desfile gravado no interior da Triennale, o famoso espaço de exposições de Milão.

Modelos passeando com roupas elegantes da Max Mara dentro das galerias cheias de luz da Triennale, destacando as raízes da marca na moda arquitetônica, acompanhadas por um remix clássico do veterano DJ Johnny Dynell.

Para o outono/ inverno de 2021, o diretor criativo da grife, Ian Griffiths, se concentrou no item essencial da Max Mara: casaco. Começando com uma jaqueta de aviador, sobre um casaco shearling, cujas costas tinham a inscrição “1951”, em uma ampla fonte latina. 1951 foi o ano em que o fundador Achille Maramotti lançou a marca na cidade de Reggio Emilia, no centro-norte da Itália, que tinha como público-alvo “esposas de notários e médicos locais”.

De forma inteligente, Griffiths se inspirou em pântanos selvagens e na vida rural acidentada da selva urbana – com um casaco  de gola alta de mohair peludo que envolvia a modelo, e suéteres sensuais de cashmere, novamente exibindo o ano de 1951.

Os estrangeiros sempre pensam na Itália como um país quente e ensolarado, mas a região da Emilia Romagna, onde a Max Mara está localizada, pode ter invernos muito frios. As roupas opulentas apresentadas tinham uma aparência extremamente reconfortante e tranquilizadora para um dia frio na planície de Padana ou até mesmo para uma tempestade de gelo no Texas. Quase prevendo o mau tempo que viria, muitas modelos usaram botas de hiking femininas com meias grossas. Enquanto suas cabeças estavam cobertas por lenços, grandes capuzes e gorros.

Modelos passeando com roupas elegantes da Max Mara dentro das galerias cheias de luz da Triennale, destacando as raízes da marca na moda arquitetônica, acompanhadas por um remix clássico do veterano DJ Johnny Dynell.

Para o outono/ inverno de 2021, o diretor criativo da grife, Ian Griffiths, se concentrou no item essencial da Max Mara: casaco. Começando com uma jaqueta de aviador, sobre um casaco shearling, cujas costas tinham a inscrição “1951”, em uma ampla fonte latina. 1951 foi o ano em que o fundador Achille Maramotti lançou a marca na cidade de Reggio Emilia, no centro-norte da Itália, que tinha como público-alvo “esposas de notários e médicos locais”.

De forma inteligente, Griffiths se inspirou em pântanos selvagens e na vida rural acidentada da selva urbana – com um casaco  de gola alta de mohair peludo que envolvia a modelo, e suéteres sensuais de cashmere, novamente exibindo o ano de 1951.

Os estrangeiros sempre pensam na Itália como um país quente e ensolarado, mas a região da Emilia Romagna, onde a Max Mara está localizada, pode ter invernos muito frios. As roupas opulentas apresentadas tinham uma aparência extremamente reconfortante e tranquilizadora para um dia frio na planície de Padana ou até mesmo para uma tempestade de gelo no Texas. Quase prevendo o mau tempo que viria, muitas modelos usaram botas de hiking femininas com meias grossas. Enquanto suas cabeças estavam cobertas por lenços, grandes capuzes e gorros.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post