• Temporada de Plumas Por Xico Gonçalves

    Antes sinônimo de glamour- e mais indicado para uso em eventos sofisticados, plumas e penas agora se propõe a uma...

    Leia mais

  • Casamento de Klebber Toledo com Camila Queiroz

    Klebber Toledo e Camila Queiroz, que oficializaram a relação no civil no último sábado (16/6), divulgaram fotos do álbum de...

    Leia mais

  • Gola Em Alta Por Xico Gonçalves

    Duas peças best-sellers dos anos 1960 pintaram em passarelas influentes como a de Balenciaga e na Prada. Prepare-se para a...

    Leia mais

  • Decor por Carlos Lamoglia para Sunset no Ilha Pura

    Ontem foi dia de Sunset Party no Deck do Ilha Pura na Barra da Tijuca. O evento contou com apoio...

    Leia mais

  • Happy hour de celebraçåo do Ilha Pura, um empreendimento da Carvalho Hosken

    Uma tarde aprazível, marcou o happy hour de celebraçåo do Ilha Pura, um empreendimento da Carvalho Hosken, com um monte...

    Leia mais

O Tule é o Tecido da Hora Por Xico Gonçalves
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

Pode até parecer difícil desassociar o tule dos vestidos de casamento ou red carpets, mas ao acompanhar o uso moderno deste tecidos em marcas influentes como Off White, Gucci e Dior de Maria Grazia Chiuri, se entende porque virou mania.
Repaginado, o tule está sendo usado pelos modernos em versões diferentes daquelas que faziam parte só dos contos de fadas.
Os lançamentos atuais propõem versões menos açucaradas para este tecido.
A origem do tule
O tecido surgiu nos anos de 1700 na cidade francesa de Tulle.
Era usado somente para fazer babadinhos em forros de saias, detalhes de recortes e chapéus.
A saia de tule surgiu na Era Romântica do ballet, e foi usada em 1832 em Paris.
Marie Taglioni foi a primeira bailarina a vestir uma peça neste tecido delicado que mais parecia um vestido.
Apesar de ter sido considerado um escândalo por ser curto demais para época, Marie quebrou o tabu com ousadia e transformou o tule em um tecido intimamente associado ao balet.
E assim que a dança evoluiu, a saia foi ficando cada vez mais curta, para destacar e expor os movimentos das pernas das bailarinas.
Mas foi só em 1880, que a bailarina Virginia Zucchi se tornou a primeira a vestir o modelo acima dos joelhos, mais próximo do atual.
Porém, o tule pulou dos frufrus das bailarinas para o corpo das elegantes só depois que a Rainha Victoria utilizou o tecido em seu casamento em 1840, sendo a primeira noiva a usar um vestido branco.
Motivos para usar Tule
É um tecido que tem uma leve transparência, pode ter bordados, liso, mais fechado, mais aberto e com infinitas possibilidades.
Além disso, pode ser verão e pode ser inverno.
Vira sexy ou conceitual, dependendo da modelagem.
Mas não se limite na batida saia de bailarina.
Tule abala em camisetas, sobreposições e sobrepondo outros tecidos.
E o mais incrível é que o tecido empresta um toque inédito em qualquer visual.
Em temporadas de futurismo retrô e transparências descaradas, o tule chegou para dominar.


09
jun
2018