• Cicero leva estilo da The Paradise à papelaria

    Nesta primavera, as flores ganham mais espaço nas capas da Cicero. Para a linha especial de cadernos Floral Hype, a...

    Leia mais

  • Bela Gil traz palha de buriti para nova coleção com o Cantão

    Apresentadora, chef de cozinha natural e escritora, Bela Gil está de volta à moda. Depois de uma primeira coleção cápsula...

    Leia mais

  • O tenis com plataforma dos anos 90 voltou agora a nova versão é Ugly Sneakers

    Quem não se lembra dos exageros da moda nos anos 90 ? O antigo tênis plataforma ,voltou com força total...

    Leia mais

  • O salto de bola é um dos maiores hits do momento

    O salto de bolas de madeira é um dos maiores hits do street style desde que Jacquemus trouxe o modelo...

    Leia mais

  • A aposta do suíço Kévin Germanier na sustentabilidade

    Enquanto estava cursando moda na Central Saint Martins, Kévin Germanier usava de lençóis a sobras de tecidos dos colegas como...

    Leia mais

O Tule é o Tecido da Hora Por Xico Gonçalves
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

Pode até parecer difícil desassociar o tule dos vestidos de casamento ou red carpets, mas ao acompanhar o uso moderno deste tecidos em marcas influentes como Off White, Gucci e Dior de Maria Grazia Chiuri, se entende porque virou mania.
Repaginado, o tule está sendo usado pelos modernos em versões diferentes daquelas que faziam parte só dos contos de fadas.
Os lançamentos atuais propõem versões menos açucaradas para este tecido.
A origem do tule
O tecido surgiu nos anos de 1700 na cidade francesa de Tulle.
Era usado somente para fazer babadinhos em forros de saias, detalhes de recortes e chapéus.
A saia de tule surgiu na Era Romântica do ballet, e foi usada em 1832 em Paris.
Marie Taglioni foi a primeira bailarina a vestir uma peça neste tecido delicado que mais parecia um vestido.
Apesar de ter sido considerado um escândalo por ser curto demais para época, Marie quebrou o tabu com ousadia e transformou o tule em um tecido intimamente associado ao balet.
E assim que a dança evoluiu, a saia foi ficando cada vez mais curta, para destacar e expor os movimentos das pernas das bailarinas.
Mas foi só em 1880, que a bailarina Virginia Zucchi se tornou a primeira a vestir o modelo acima dos joelhos, mais próximo do atual.
Porém, o tule pulou dos frufrus das bailarinas para o corpo das elegantes só depois que a Rainha Victoria utilizou o tecido em seu casamento em 1840, sendo a primeira noiva a usar um vestido branco.
Motivos para usar Tule
É um tecido que tem uma leve transparência, pode ter bordados, liso, mais fechado, mais aberto e com infinitas possibilidades.
Além disso, pode ser verão e pode ser inverno.
Vira sexy ou conceitual, dependendo da modelagem.
Mas não se limite na batida saia de bailarina.
Tule abala em camisetas, sobreposições e sobrepondo outros tecidos.
E o mais incrível é que o tecido empresta um toque inédito em qualquer visual.
Em temporadas de futurismo retrô e transparências descaradas, o tule chegou para dominar.


09
jun
2018