Moda

Armani reabre cerca de 100 lojas com medidas de segurança

21 Maio 2020 • por Nina Kauffmann • 0 Comentários

Giorgio Armani reabriu cerca de cem lojas de sua rede global de varejo na segunda-feira, 18 de maio, com medidas adicionais de segurança e um novo sistema de agendamento de horário para visitação. Além disso, o museu Armani Silos será reaberto esta semana.

O Grupo Armani disse que as medidas fazem parte da “Fase 2” após o confinamento global e prometeu que a reabertura das lojas está “em total conformidade com os padrões estabelecidos pelas autoridades”, como parte de seus esforços gerais para “garantir a máxima segurança para funcionários e clientes”. Armani reabriu as flagships dos principais destinos da moda, como Milão, Paris, Munique, Pequim, Hong Kong e Sydney. No total, quase cem lojas Giorgio Armani e Emporio Armani serão reabertas em todo o mundo.
 
O designer italiano também transformou seu icônico outdoor no centro de Milão, na Via Broletto, possivelmente o mais famoso da Itália, em uma imagem que homenageia os profissionais de saúde italianos. Nela, um médico com asas de anjo segura a Itália nos braços, um símbolo da luta contra o coronavírus. Desenhado pelo artista Franco Rivolli, o cartaz traz as palavras de encorajamento do próprio Armani: “Para recomeçar com segurança, ainda precisamos dele”. A imagem também está sendo divulgada nas redes sociais do grupo.
 
Na semana passada, Armani, de 85 anos, enviou uma carta aberta a jornais italianos agradecendo a todos os profissionais de saúde do país por seu trabalho duro durante a crise. No último fim de semana, Armani também mudou a iluminação da fachada da Armani Ginza Tower, em Tóquio, transformando seu motivo de bambu em uma mistura gráfica de azul escuro Oxford com motivos azuis. No Japão, a cor azul é usada para expressar gratidão às pessoas que trabalham no setor médico, que lutam contra a Covid-19.
 
Em fevereiro, Armani cancelou o desfile que seria apresentado no último dia da temporada da moda feminina em Milão e realizou uma transmissão ao vivo de portas fechadas. Um movimento que foi criticado por alguns setores na época por falta de comprometimento, mas que, por outro lado, parece ter sido extremamente visionário. Desde o início do confinamento, Armani está em quarentena próximo à costa da Toscana.
 
Como já informado, o designer não participará da nova temporada de desfiles masculinos que a Camera della Moda planeja organizar em meados de julho. Atualmente, Armani pretende organizar um desfile misto de moda feminina e masculina na segunda quinzena de setembro, em Milão, durante a próxima temporada de desfiles na capital da moda italiana.
 
Por ocasião da reabertura de suas lojas, o Grupo Armani também anunciou que 10% das vendas das coleções primavera-verão 2020 serão destinadas à instituições de caridade. “A produção de uniformes médicos descartáveis ​​também continua e será transferida das fábricas de Trento, Carrè, Matelica e Settimo Torinese, que recomeçaram a trabalhar nas coleções de moda do grupo, às de subfornecedores na Itália e em outros países”, acrescentou o grupo de moda.

Em um comunicado o designer ressaltou que todas as reabertura respeitarão “as disposições regulamentares de cada país, a fim de garantir a máxima proteção da saúde e segurança do público e de sua força de trabalho…com uma equipe adequadamente capacitada”.
 
O grupo também introduziu um novo serviço de agendamento de horários, que pode ser feito online pelos clientes. O serviço foi ativado mundialmente no último fim de semana para as lojas Giorgio Armani e Emporio Armani e será implementado a partir de 3 de junho nas lojas A|X Armani Exchange.
 
Por fim, o designer reabrirá seu icônico museu Armani Silos e seu espaço de arte no sul de Milão no final desta semana, mais um passo no despertar cuidadoso após um fechamento de dois meses.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post