• Noite de Premiação MTV VMA 2018

    Premiação musical concentra celebridades em Nova York (Foto: Getty) Qual seu look preferido?

    Leia mais

  • Kaia Gerber estreia como estilista em coleção para Karl Lagerfeld

    A notícia de que Karl Lagerfeld teria convidado Kaia Gerber para criar uma coleção-cápsula ready-to-wear de sua marca homônima deu...

    Leia mais

  • Tesouro dos mares Por Xico Gonçalves

    Não existe um adorno feminino mais democrático que a pérola. Quem tem dúvidas sobre o que usar, usa pérola. Perolas...

    Leia mais

  • Exibição do curta Incondicional-De Aymara Limma-Centro Cultural Gabriel Villela-Iate Clube

    Após percorrer várias cidades do Brasil, a atriz Aymara Limma exibiu no Rio o curta ‘Incondicional’, reeditado e remixado em...

    Leia mais

  • 10 aplicativos para você ter uma vida mais sustentável

    Quer ter uma vida mais eco-friendly, mas não sabe por onde começar? Use a tecnologia a seu favor 1. PARA...

    Leia mais

O Tule é o Tecido da Hora Por Xico Gonçalves
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

Pode até parecer difícil desassociar o tule dos vestidos de casamento ou red carpets, mas ao acompanhar o uso moderno deste tecidos em marcas influentes como Off White, Gucci e Dior de Maria Grazia Chiuri, se entende porque virou mania.
Repaginado, o tule está sendo usado pelos modernos em versões diferentes daquelas que faziam parte só dos contos de fadas.
Os lançamentos atuais propõem versões menos açucaradas para este tecido.
A origem do tule
O tecido surgiu nos anos de 1700 na cidade francesa de Tulle.
Era usado somente para fazer babadinhos em forros de saias, detalhes de recortes e chapéus.
A saia de tule surgiu na Era Romântica do ballet, e foi usada em 1832 em Paris.
Marie Taglioni foi a primeira bailarina a vestir uma peça neste tecido delicado que mais parecia um vestido.
Apesar de ter sido considerado um escândalo por ser curto demais para época, Marie quebrou o tabu com ousadia e transformou o tule em um tecido intimamente associado ao balet.
E assim que a dança evoluiu, a saia foi ficando cada vez mais curta, para destacar e expor os movimentos das pernas das bailarinas.
Mas foi só em 1880, que a bailarina Virginia Zucchi se tornou a primeira a vestir o modelo acima dos joelhos, mais próximo do atual.
Porém, o tule pulou dos frufrus das bailarinas para o corpo das elegantes só depois que a Rainha Victoria utilizou o tecido em seu casamento em 1840, sendo a primeira noiva a usar um vestido branco.
Motivos para usar Tule
É um tecido que tem uma leve transparência, pode ter bordados, liso, mais fechado, mais aberto e com infinitas possibilidades.
Além disso, pode ser verão e pode ser inverno.
Vira sexy ou conceitual, dependendo da modelagem.
Mas não se limite na batida saia de bailarina.
Tule abala em camisetas, sobreposições e sobrepondo outros tecidos.
E o mais incrível é que o tecido empresta um toque inédito em qualquer visual.
Em temporadas de futurismo retrô e transparências descaradas, o tule chegou para dominar.


09
jun
2018
Dia dos Namorados para todos os bolsos
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

O Dia dos Namorados está chegando! No dia 12 de junho, casais seguem a tradição de trocar presentes, chocolates e cartões. Pensando nisso, selecionamos roupas e acessórios de todos os preços para ajudar nas escolhas dos apaixonados. Confira!

Até R$200,00:

BAZZAH – Brinco (R$89,00)

CANTÃO – T-shirt (R$119,00)

CANTÃO – T-shirt (R$99,00)

DAMYLLER – Body (R$99,00)

DRESS TO – Colar (R$99,00)

FYI – Body (R$188,00)

LOUNGERIE – Sutiã (R$79,90)

LZ STUDIO – Caneca (R$118,00)

MARIA FILÓ – Brinco (R$179,00)

REDLEY – Blusa (R$199,00)

Entre R$200,00 e R$350,00:

BAZZAH – Bolsa (R$275,00)

DAMYLLER – Moletom (R$299,00)

DRESS TO – Vestido (R$299,00)

EURO – Óculos (R$279,90)

EVA – Gargantilha (R$328,00)

FYI – Saia (R$268,00)

LOUNGERIE – Corselet (R$249,90)

OH, BOY! – Blusa (R$278,00)

REDLEY – Hoody (R$339,00)

REDLEY – Tênis (R$239,00)

RESERVA – Bermuda (R$299,00)

TECHNOS – Relógio (R$259,90)

Entre R$350,00 e R$500,00:

ATEEN – Blusa (R$499,00)

EURO – Relógio (R$379,90)

LZ STUDIO – Bule (R$367,00)

MARIA FILÓ – Casaco (R$389,00)

MONTE CARLO – Anel (R$490,00)

NANNACAY – Bolsa (R$445,00)

REDLEY – Casaco (R$399,00)

RESERVA – Camisa (R$479,00)

SWAROVSKI – Brincos (R$389,00)

ZEREZES – Óculos Feminino (R$490,00)

ZEREZES – Óculos Masculino (R$450,00)


A partir de R$500,00:

ATEEN – Bolsa (R$849,00)

DIESEL – Relógio (R$1.249,00)

DIESEL – Relógio (R$712,50)

EVA – Vestido (R$828,00)

FOSSIL – Relógio (R$675,00)

FOSSIL – Relógio (R$1.100,00)

LZ STUDIO – Mãos (R$1.078,00)

MICHAEL KORS – Relógio (R$1.779,90)

MONTE CARLO – Brincos (R$1.490,00)

NANNACAY – Bolsa (R$550,00)

NK STORE – Bota (R$1790,00)

NK STORE – Vestido (R$2.290,90)

ROBERTA DO RIO – Anéis (Preço sob consulta)

ROBERTA DO RIO – Colar (R$3.980,00)

SACADA – Mochila (R$718,00)

SWAROVSKI – Anel (R$609,00)

SWAROVSKI – Pulseira Masculina (R$849,00)

SWAROVSKI – Pulseira Feminina (R$609,00)

TECHNOS – Relógio (R$539,90)

THE PARADISE – Camisa (R$1.080,00)

THE PARADISE – Vestido (R$1.010,00)

08
jun
2018
Cris Lemos lança coleção em terras cariocas por Anna Clara Tenenbaum
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

O lançamento da colecão de Cris Lemos em terras cariocas foi na casa da fotógrafa Denise Leão numa tarde repleta de cultura e delicias pernambucanas. Kika Gama Lobo e Anna Clara Tenenbaum uniram forças para apresentar a sociedade carioca o talento da joalheira.

Há nove anos atuando em Pernambuco, a CiS ganha destaque no setor joalheiro nacional

Idealizada pela designer Cris Lemos, a CiS Joias iniciou as suas atividades em 2009 no Recife e hoje conta com uma loja física no RioMar, shopping nobre da capital pernambucana, e uma loja virtual. Em nove anos de história, a marca conquistou espaço no setor joalheiro do Nordeste ao elaborar joias autênticas, assinadas por Cris Lemos, repletas de significado e originalidade, da qual todo processo, desde a criação até a produção e finalização das peças, é realizada em um ateliê próprio local. Afinal, embora esteja num patamar crescente, a empresa preza pela tradição do trabalho personalizado e manual. O que resulta em um produto com caráter exclusivo que agrega sofisticação à marca.

A relação da designer e empresária com este amplo universo começou cedo. Fascinada pela arte e por todos os seus campos de atuação, Cris decidiu cursar design de produto na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e foi neste período que percebeu a sua vocação para o desenho de joias. Após alguns cursos com ourives locais e especializações em Londres, vislumbrou a possibilidade de lançar uma grife. A ideia rendeu mais do que concretização da loja física, garantiu a visibilidade da marca também em outros Estados. Depois de lançar seu e-commerce, a CiS está investindo cada vez mais na expansão nacional por meio de eventos segmentados para o público-alvo.

No que diz respeito à inspiração, Cris explica que as ideias para a criação das coleções surgem em tudo o que enxerga beleza. Um exemplo disso é a coleção “Raízes”, que foi inspirada no Movimento Armorial – corrente artística que criou uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular nordestina. As joias da linha fazem uma releitura contemporânea que pode ser compreendida e admirada em qualquer lugar. “Basta acrescentar conceito, aliado a design e criatividade”, declara. No mundo atual, o consumidor de luxo busca ser mais intimista, procura suas raízes e sua identidade em resposta à grande padronização e à globalização que vivemos. Com o crescimento do comércio, as opções de joias disponíveis são massificadas, feitas em série e, por isso, não possuem uma identidade. Já as peças feitas em pequena escala possuem um significado diferente, com personalidade. Além disso, elas envolvem também a valorização do trabalho artesanal. “Por isso, na CiS todas as joias são produzidas uma a uma, da criação à finalização, o que a torna única e exclusiva”, explica Cris Lemos.

Apesar de ser uma marca que valoriza a regionalidade, as joias são universais. Elas podem ser usadas por qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo. “Quando as mulheres vestem uma joia, seja brinco, anel, pulseira ou colar, elas se sentem completas. Mais bonitas, elegantes, sofisticadas, iluminadas! E esse é o espírito que a CiS quer transmitir: que elas vivenciem um momento único acreditando na própria beleza e potencial”, finaliza a designer.



08
jun
2018