• 29º Prêmio da Música Brasileira

    O Theatro Municipal do Rio de Janeiro foi palco do 29º Prêmio da Música Brasileira, que rolou nessa quarta-feira. Este...

    Leia mais

  • Inauguração da nova vitrine da Hermès agitou o shopping Iguatemi SP

    Cocktail marcou a inauguração da nova vitrine da Hermès, nessa terça-feira, no shopping Iguatemi SP, em colaboração com o artista...

    Leia mais

  • Inauguração do ad.studio por Paloma Danemberg leva antiquário moderno ao Shopping Leblon

    Nesta quarta-feira (15/8), Paloma Danemberg abriu as portas de seu ad.studio no Shopping Leblon, rodeada de amigos. É o primeiro...

    Leia mais

  • A Bruxa anda solta Por Xico Gonçalves

    Agosto é considerado o mês das bruxas. A arte de descortinar o futuro está se tornando uma obsessão, graças a...

    Leia mais

  • Ai Weiwei ganha exposição inédita no Brasil

    Já tem data para acontecer a primeira exibição do artista plástico chinês Ai Weiwei em território nacional. A partir de...

    Leia mais

O Tule é o Tecido da Hora Por Xico Gonçalves
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

Pode até parecer difícil desassociar o tule dos vestidos de casamento ou red carpets, mas ao acompanhar o uso moderno deste tecidos em marcas influentes como Off White, Gucci e Dior de Maria Grazia Chiuri, se entende porque virou mania.
Repaginado, o tule está sendo usado pelos modernos em versões diferentes daquelas que faziam parte só dos contos de fadas.
Os lançamentos atuais propõem versões menos açucaradas para este tecido.
A origem do tule
O tecido surgiu nos anos de 1700 na cidade francesa de Tulle.
Era usado somente para fazer babadinhos em forros de saias, detalhes de recortes e chapéus.
A saia de tule surgiu na Era Romântica do ballet, e foi usada em 1832 em Paris.
Marie Taglioni foi a primeira bailarina a vestir uma peça neste tecido delicado que mais parecia um vestido.
Apesar de ter sido considerado um escândalo por ser curto demais para época, Marie quebrou o tabu com ousadia e transformou o tule em um tecido intimamente associado ao balet.
E assim que a dança evoluiu, a saia foi ficando cada vez mais curta, para destacar e expor os movimentos das pernas das bailarinas.
Mas foi só em 1880, que a bailarina Virginia Zucchi se tornou a primeira a vestir o modelo acima dos joelhos, mais próximo do atual.
Porém, o tule pulou dos frufrus das bailarinas para o corpo das elegantes só depois que a Rainha Victoria utilizou o tecido em seu casamento em 1840, sendo a primeira noiva a usar um vestido branco.
Motivos para usar Tule
É um tecido que tem uma leve transparência, pode ter bordados, liso, mais fechado, mais aberto e com infinitas possibilidades.
Além disso, pode ser verão e pode ser inverno.
Vira sexy ou conceitual, dependendo da modelagem.
Mas não se limite na batida saia de bailarina.
Tule abala em camisetas, sobreposições e sobrepondo outros tecidos.
E o mais incrível é que o tecido empresta um toque inédito em qualquer visual.
Em temporadas de futurismo retrô e transparências descaradas, o tule chegou para dominar.


09
jun
2018
Xico Gonçalves nosso novo colaborador
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Novidades

Xico Gonçalves é de Porto Alegre e e no final dos anos 1970 fundou a indústria de moda X&C.
Quando foi entrevistado por Jô Soares em 2014, foi apresentado como “especialista em moda”.
Tem um livro editado, o ABC da Moda que vai ser relançado em 2018.
Como estilista foi o criador da marca X & C, que participou de vários eventos nacionais como o “Oscar da Moda” (Rio de Janeiro 82 /83) junto a estilistas consagrados como George Henry, Marco Rica, Lino Villaventura e desfiles na Fenit, em São Paulo.
Como jornalista apresentou durante doze anos comentários de moda no “JA”, na RBS TV (filiada à rede Globo) e cinco anos como apresentador e editor do programa Estilo (TV Com), além de escrever nos jornais Zero Hora e Diário Catarinense e em diversos sites e revistas, assessoria de moda para a rede de lojas “Paquetá”, assessoria de tendências para a empresa gaúcha Grendene e coleções masculinas para Renner Vicunha.
Em 2001 até 2010, junto a RBS, C&A e Shopping Iguatemi de Porto Alegre, produziu e dirigiu, junto com Oliver Laport, o evento “Donna Fashion Iguatemi”, uma semana de desfiles para lançar novos talentos do RGS e mostrar as coleções de talentos nacionais consagrados.
Atualmente fornece conteúdo de moda para várias revistas nacionais, portais digitais e tem uma coluna semanal de lifestyle no programa Band Mulher na TV Bandeirantes RGS.

09
jun
2018