• Volume Maciço por Xico Gonçalves

    O “BOUFFANT” ESTÁ DE VOLTA Cabelos inflados apareceram nas coleções de inverno sinalizando a volta dos cabelões. A modelo Grace...

    Leia mais

  • Harper’s Bazaar Brasil agita Fasano em Ipanema

    Um dos selos de moda mais importantes do mundo a Harper’s Bazaar Brasil, que tem Patrícia Carta como Publisher, fez...

    Leia mais

  • VALENTINO ALTA COSTURA OUTONO INVERNO 2019/20 UMA ODE À BELEZA SINGULAR Por Xico Gonçalves

    Um desfile de brilhar os olhos. A celebração do único e do trabalho artístico da couture. Pierpaolo Piccioli não se...

    Leia mais

  • O apartamento de Coco Chanel foi a inspiração para desfile de alta costura em Paris esta semana

    No desfile da Chanel nesta semana de alta costura em Paris, colocou sua coleção em uma biblioteca inspirada na do...

    Leia mais

  • O preto reinou no desfile de alta costura da Dior

    Rolou nesta segunda-feira (1º de julho de 2019) o desfile de alta-costura da Dior, que faz parte da Semana de...

    Leia mais

O Tule é o Tecido da Hora Por Xico Gonçalves
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Destaques, Moda, Novidades

Pode até parecer difícil desassociar o tule dos vestidos de casamento ou red carpets, mas ao acompanhar o uso moderno deste tecidos em marcas influentes como Off White, Gucci e Dior de Maria Grazia Chiuri, se entende porque virou mania.
Repaginado, o tule está sendo usado pelos modernos em versões diferentes daquelas que faziam parte só dos contos de fadas.
Os lançamentos atuais propõem versões menos açucaradas para este tecido.
A origem do tule
O tecido surgiu nos anos de 1700 na cidade francesa de Tulle.
Era usado somente para fazer babadinhos em forros de saias, detalhes de recortes e chapéus.
A saia de tule surgiu na Era Romântica do ballet, e foi usada em 1832 em Paris.
Marie Taglioni foi a primeira bailarina a vestir uma peça neste tecido delicado que mais parecia um vestido.
Apesar de ter sido considerado um escândalo por ser curto demais para época, Marie quebrou o tabu com ousadia e transformou o tule em um tecido intimamente associado ao balet.
E assim que a dança evoluiu, a saia foi ficando cada vez mais curta, para destacar e expor os movimentos das pernas das bailarinas.
Mas foi só em 1880, que a bailarina Virginia Zucchi se tornou a primeira a vestir o modelo acima dos joelhos, mais próximo do atual.
Porém, o tule pulou dos frufrus das bailarinas para o corpo das elegantes só depois que a Rainha Victoria utilizou o tecido em seu casamento em 1840, sendo a primeira noiva a usar um vestido branco.
Motivos para usar Tule
É um tecido que tem uma leve transparência, pode ter bordados, liso, mais fechado, mais aberto e com infinitas possibilidades.
Além disso, pode ser verão e pode ser inverno.
Vira sexy ou conceitual, dependendo da modelagem.
Mas não se limite na batida saia de bailarina.
Tule abala em camisetas, sobreposições e sobrepondo outros tecidos.
E o mais incrível é que o tecido empresta um toque inédito em qualquer visual.
Em temporadas de futurismo retrô e transparências descaradas, o tule chegou para dominar.


09
jun
2018
Xico Gonçalves nosso novo colaborador
Postado por Nina Kauffmann - Categorias: Novidades

Xico Gonçalves é de Porto Alegre e e no final dos anos 1970 fundou a indústria de moda X&C.
Quando foi entrevistado por Jô Soares em 2014, foi apresentado como “especialista em moda”.
Tem um livro editado, o ABC da Moda que vai ser relançado em 2018.
Como estilista foi o criador da marca X & C, que participou de vários eventos nacionais como o “Oscar da Moda” (Rio de Janeiro 82 /83) junto a estilistas consagrados como George Henry, Marco Rica, Lino Villaventura e desfiles na Fenit, em São Paulo.
Como jornalista apresentou durante doze anos comentários de moda no “JA”, na RBS TV (filiada à rede Globo) e cinco anos como apresentador e editor do programa Estilo (TV Com), além de escrever nos jornais Zero Hora e Diário Catarinense e em diversos sites e revistas, assessoria de moda para a rede de lojas “Paquetá”, assessoria de tendências para a empresa gaúcha Grendene e coleções masculinas para Renner Vicunha.
Em 2001 até 2010, junto a RBS, C&A e Shopping Iguatemi de Porto Alegre, produziu e dirigiu, junto com Oliver Laport, o evento “Donna Fashion Iguatemi”, uma semana de desfiles para lançar novos talentos do RGS e mostrar as coleções de talentos nacionais consagrados.
Atualmente fornece conteúdo de moda para várias revistas nacionais, portais digitais e tem uma coluna semanal de lifestyle no programa Band Mulher na TV Bandeirantes RGS.

09
jun
2018